A importância da divulgação da atividade parlamentar do Vereador.

Quero através deste Blog poder divulgar aos meus eleitores, e aos demais de Oliveira, das Zonas Rurais e Morro do Ferro minhas ações como Vereador e como representante dos Municípes oliveirenses à Câmara Municipal. Entendo que a atividade legislativa deve ser pautada pela coerência na vida pública alicerçada na ética e nos princípios que devem reger a administração pública. Como Vereador e remunerado com dinheiro público, devo prestar contas do meu trabalho em contra prestação à outorga da vontade popular que me elegeu com honrosos 741 votos e mais, promover a divulgação pública de minhas ações na atividade legislativa (criação de leis); fiscalizatória (do Poder Executivo - Prefeitura) e reivindicatória ( representar e pedir às necessidades de nossa Cidade). Isto, é respeito ao eleitor de Oliveira. È transparência.

Pesquisar este blog

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

A nossa Oliveira, as Minas Gerais e o Brasil relembram hoje um ano do falecimento do ENGENHEIRO DO PROGRESSO – ELISEU RESENDE.


Passados um ano de morte permanece o grande legado de seu nome fonte ainda vida de reconhecimento do seu talento e exímio detentor de alta capacidade técnicas nos assuntos que dominava, principalmente na área de transportes e infraestrutura, como Relator do PLANO NACIONAL DE AVIAÇÃO, como muito bem recentemente fora homenageado pelo Governo do Estado de Goiás – Marconi Perillo, na Tribuna do Senado Federal.

Eliseu Resende é insubstituível.

Vejam o depoimento na Tribuna do Senado Federal feito pelo Senador Aécio Neves homenageado Dr. Eliseu Resende: http://www.youtube.com/watch?v=QbLo6DhvmMs

O Jornal ESTADO DE MINAS publicou no dia 06/02/2003, na página 09, o artigo “A Cide e as estradas do Brasil ” do oliveirense, ex-ministro e ex- Deputado Federal ELISEU RESENDE onde, retratou com muita propriedade e fidelidade a realidade sobre o novo tributo instituído pela União , a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico – CIDE. O próprio Jornal Estado de Minas já publicou inúmeras matérias demonstrando a precária situação da malha rodoviária do Brasil, de modo especial nossas estradas mineiras. Nosso Estado é detentor da maior parte da malha viária federal, recentemente encampada pelo Estado.
O trabalho e a experiência do saudoso e então deputado Eliseu Resende, responsável pela relatoria e aprovação do Projeto de Lei que criou a CIDE, juntamente com o decisivo apoio do então Presidente da Câmara Deputado Aécio Neves, criou condições ao Poder Executivo para realizar investimentos em todo o sistema de infra-estrutura rodoviária de transportes podendo recuperar, conservar e construir novas estradas.
Desde a arrecadação deste tributo, o Governo Federal vem utilizando o valor arrecadado para ampliação do superávit primário da União, em atendimento às exigências do FMI. O Governo Lula vetou a destinação específica da CIDE para a sua única finalidade e agora quer dar outros destinos ao dinheiro arrecadado como, por exemplo, o financiamento do Programa Fome Zero, que merece todo o nosso respeito, incentivo e reconhecimento. Nunca nenhum Presidente quis priorizar a fome como prioridade em seu programa de governo.
O fato é tão sério e importante que o ex-Governador Aécio Neves incumbiu à época o próprio Eliseu Resende para sensibilizar todo o Congresso Nacional para derrubar o veto presidencial aos artigos reguladores que dão destinação à CIDE, objeto da aprovação do Projeto de Lei Nº 6.770, cuja Lei foi sancionada em 31 de dezembro de 2002. Ate hoje o que verificamos é que o dinheiro da CIDE não é repassada de acordo com a finalidade na qual fora criada pela idéia do saudoso Dr. Eliseu Resende.

Gostaria de reproduzir um Tributo ao Dr. Eliseu Resende:

“ A morte de Eliseu Resende é a morte de um homem de pensamento. Como pronunciou o genial Victor Hugo nos funerais de Balzac, “o pais inteiro estremece quando desaparece uma dessas cabeças. Hoje a tristeza do povo é o pesar pela morte de um homem de talento, a tristeza nacional é a mágoa pelo desaparecimento de um homem de gênio”.

Eliseu Resende foi cartesiano em tudo que fez. Como engenheiro, matemático e político. Parece que sua vida seguiu rigorosamente as linhas traçadas no “ Discurso sobre o Método”, de Renés Descartes, um modelo quase matemático para conduzir o pensamento humano, uma vez que a matemática tem por característica a certeza, a ausência de dúvidas.

Seja construindo obras monumentais, como a ponte Rio-Niterói ou obras santificadas como a passarela da Basílica de Aparecida, Eliseu sempre colocou sua cabeça de matemático brilhante e seu talento de homem público a serviço do estado e do país.

Conjugava suas hipotenusas e catetos na construção e execução de seus projetos com um sorriso doce do mineiro de Oliveira, sua querida terra natal. Com seu tom de voz baixo e sereno, Eliseu Resende cativava a todos. Pelo sorriso, pela educação de fidalgo, capaz de gestos cada vez mais raros nessa selva de pedra humana que vivemos hoje, como o de conduzir o interlocutor pessoalmente até ao elevador ou a saída, ou de interromper os atribulados afazeres diários para uma pausa oferecendo ao convidado um café da tarde à moda continental, à mesa com os quitutes mineiros mais saborosos.

Com o desaparecimento de Eliseu Resende, Minas e o Brasil perdem uma grande cabeça pensante. O gênio em transporte e energia que assombrou os ministérios e o parlamento de Brasília pela sua análise densa e profunda de temas raramente dominados pelos homens do governo ou do Legislativo.

Eliseu Resende, antes de baixar ao túmulo, recebeu em Oliveira o último adeus da terra que tanto amou. Jesus Cristo subiu aos céus exatamente no monte das Oliveiras, em Jerusalém, de onde ressurgirá conforme o profeta Zacarias. De Oliveira, Eliseu Resende partiu para penetrar na tumba e ao mesmo tempo na glória. Como na invocação de Victor Hugo nas exéquias de Balzac, “de ora em diante brilhará por cima de todas as nuvens que correm por sobre as nossas cabeças, entre as estrelas de nossa pátria”.

Paulo Pinheiro Chagas, o notável orador, escritor e político de Oliveira certamente receberá seu conterrâneo no jardim celestial, saudando-o com os mesmos adjetivos que tributou a Gustavo Capanema, outro ilustre mineiro da vizinha Pitangui: Eliseu foi um homem ameno, heleno, sereno. Ameno na finura do trato, heleno pelo gosto atico das coisas da ciência e do pensamento, sereno no sucesso ou no revés;

Quando um espírito elevado como o de Eliseu Resende majestosamente penetra em outra vida, certamente sua aura de luz continuará sempre pairando sobre nós na vida terrena.” *Mauro Bomfim é Jornalista e advogado.

A vida, o talento, as obras, o conhecimento e todo os legado da história de Eliseu Resende permanecem vivos e como fonte de inspiração muitas e muitas gerações futuras.

Esta é uma homenagem do Vereador Walquir Avelar ao grande Engenheiro do Progresso – Eliseu Resende.

Nenhum comentário:

Postar um comentário